Pages

21 de setembro de 2014

Resenha #23: A última casa da rua - Jonathan Mostow, Lily Blake e David Loucka

 Olá pessoas! Tudo bem com vocês?

Como já fui apresentada anteriormente, meu nome é Joyce! Fiquei muito feliz ao ver a primeira postagem de minha amiga e colega de classe Leticia, espero fazer um trabalho tão bom quanto o dela.

Bem, vou falar um pouquinho sobre o livro que li nos últimos dias e que gostei bastante por ser o primeiro tipo do gênero que leio (suspense, um pouco de terror também): A última casa da rua.


Título: A Última Casa da rua



Autor: Jonathan Mostow, Lily Blake e David Loucka

Editora: ID                                                                            

Gênero:Suspense

Ano de lançamento:2012 

Status: Livro único    

Páginas: 184                                                                 

Skoob: Link




O livro conta a história de Sarah e sua filha Elissa. Sarah resolve mudar-se com sua filha Elissa de Chicago, lugar onde viviam, para morar na cidadezinha de Syncamore Lane, pois Sarah queria reforçar os laços que havia perdido com a filha (já que o seu marido e pai de Elissa as abandonou, piorando consequentemente a relação afetiva entre as duas) e ela também temia que sua filha tivesse o mesmo futuro que o seu: engravidar-se cedo e se vê obrigada a casar muito jovem.

           “Quatro anos depois...”

Então, essa mudança para Syncamore Lane, representa pelo menos para Sarah, um novo recomeço das duas, uma nova vida. Ao chegarem lá, na casa que a mãe de Elissa alugou, ao ver aquela casa enorme, diferentemente do apartamento onde viviam, Elissa começa a pensar que essa ideia da mãe talvez possa dar certo mesmo, despertando a esperança na jovem com uma vida melhor. A casa para onde se mudaram era realmente muito boa, espaçosa e no bairro ideal (de ínicio achamos né?!), porém, só foi acessível ao bolso de Sarah porque há quatro anos aterrorizantes atrás, na casa ao lado onde iriam viver, aconteceu um duplo assassinato da família dos Jacobsen.



Carrie Anne, a única filha e a mais nova do casal que sofria de danos cerebrais, pois quando era menor caiu do balanço de sua casa enquanto brincava, deixando-a como sequelas e surtos psicóticos frequentes, matou seus pais com golpes de martelo e, depois disso, dizem ter fugido para o bosque que envolvia a casa, desvalorizando os imóveis circunvizinhos, principalmente o novo lar de mãe e filha.

“Mas não foi sempre assim naquela casa. É incrível como, de repente, as coisas mudam e os acontecimentos ruins se acumulam. A família que vivia ali foi assombrada pela má sorte, os momentos trágicos chegando sempre antes e com maior intensidade que os mínimos momentos felizes.”

Com o convívio com a nova vizinhança, as duas acabam sabendo do ocorrido na última casa da rua, o que as abala, mas mesmo assim Elissa se sentia um pouco confusa com o que os vizinhos diziam sobre a família Jacobsen, principalmente sobre o irmão de Carrie Anne, Ryan Jacobsen, que voltou a morar na casa onde tudo aconteceu. Caracterizavam-no como uma pessoa tímida, estranha e que até deveria ter problemas também. Afinal, não é normal que uma pessoa volte a viver no mesmo local onde seus pais foram assassinados, não é? Elissa não pensava bem assim, ela queria entender e não gostava de julgá-lo antes mesmo de o conhecer, como aquelas pessoas faziam e até sua própria mãe.

“– Estúpido da minha parte, não é? Eu até costumava deixar umas coisas para ela no bosque, comida, cobertores, mesmo sabendo que ela jamais conseguiria sobreviver lá fora. A coitadinha deve ter passado fome até a morte. Ela era incapaz de se virar sozinha. Precisava de cuidado constante. Meu pai queria mandá-la para algum lugar especializado, mas minha mãe nunca permitiu. É por isso que eles me mandaram embora. Eles já tinham muito com que se preocupar.”

Cena do filme: A última casa da rua (Elissa e Ryan)
Fonte:.guiame.com.br
Numa noite, sozinha, após um dia cheio de nervosismo e humilhante, Elissa não tinha outra alternativa senão voltar a pé até em casa, já que a sua mãe estava de plantão no hospital. Conforme andava na estrada e a chuva caia incessantemente, apareceu um carro que a ofereceu uma carona. Para sua surpresa era Ryan, de início ela sentiu-se um pouco indecisa em aceitar, mas acabou cedendo e pegando a carona com ele. Nisso, ao conhecer o rapaz melhor se é que se dá para conhecer alguém logo de cara, ela percebeu que não havia nada de estranho nele como corriam os boatos na pequena cidade e o achou  até interessante, despertando entre eles uma grande atração.

Depois desse dia, Sarah ficou preocupada com essa nova amizade da filha, o que só fez aumentar o distanciamento e briga entre as duas. Entretanto, Ryan e Elissa aproximavam-se cada vez mais, o instinto protetor e de bom moço dele, encantava Elissa e ela não gostava das suspeitas feitas a ele.  Mas um dia todo esse deslumbramento pelo rapaz foi por água abaixo. Talvez o estranhamento e suspeitas que haviam sobre ele tivessem realmente um fundamento.

      “Tudo estava acabado.”

Pois bem, quando acabei de ler esse livro fiquei boquiaberta, que final surpreendente! Meu Deus! Fiquei um pouco desapontada porque assim como o amor de Elissa aumentava por Ryan, meu apego com ele também e acontece toda a reviravolta. Achei o enredo maravilhoso, pena que o livro é muito pequeno, são apenas 184 páginas, o que faz que os acontecimentos sejam rápidos, nada de muitos detalhes, é muito objetivo! Ah, vale lembrar que o contrário dos livros que viram adaptações de filme, esse livro foi baseado no roteiro do filme, diferente, não?! Talvez por isso que seja tão curto. Sendo Elissa estrelada por Jennifer Lawrence (a Katniss de Jogos Vorazes).

Fonte: upamais.com


Recomendo a todos, é de fácil, envolvente e rapidíssima leitura, em poucas horas você termina!

 Avaliação

16 comentários:

  1. Garota, você arrasa!
    Esse é um gênero que despertou muita curiosidade em mim, já que nunca li um livro desse tipo. Já estava ansiosa para ler esse livro, depois de ler sua resenha fiquei ainda mais!
    Parabéns Joyce. Beijos (criatura) :)

    ResponderExcluir
  2. Imagina, você que arrasa em tudo que faz (criatura)!
    Pois é, eu tinha um certo receio em ler livros desse gênero, mas como já disse, fiquei maravilhada!
    Obrigada Leticia, beijões!

    ResponderExcluir
  3. Joyce!!! Primeiro, estou amando as mascotes de assinatura meigas e cativantes como vocês! <3!
    Agora vamos à resenha, para ser sincera não sou muito de ler suspense,mas confesso que você me deixou curiosa para saber os detalhes desta trama!
    E como sei que no suspense devemos sempre contar com o inesperado esta história deve desvendar o grande mistério que a envolve de uma forma surpreendente!
    Outro detalhe interessante é o fato de ser uma história curta, o que deve ser uma boa recomendação para principiantes, ou seja, aos que estão querendo se deixar levar pelos encantos da leitura. E pelos relatos de quem já o leu, conheço alguns além do seu, é uma leitura que prende a ponto de ser feita em questão de horas sem querer abandoná-la antes do fim, ou economizando para não ter que se despedir tão rápido.
    Como vê sua resenha nos deixa bem curiosos. Parabéns pelo belo e bem articulado texto! Você e Letícia começaram muito bem esta nova fase de suas vidas. Torço muito por essa parceria, cada uma das três com peculiaridades impares, mas que mantêm um discurso harmonioso.
    Sucesso, meninas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Zilma!
      Sou muito grata a senhora, por tudo que fizeste e ainda faz por nós!
      Obrigada de coração! Sou muito feliz em tê-la como professora e amiga. Beijos!

      Excluir
  4. Oláá
    Bom, já assisti ao filme e confesso que esperava bem mais, não que seja ruim, mas imaginei que seria melhor. Não sabia que tinha o livro, pretendo ler e espero que seja melhor que o filme, e espero gostar tanto quanto você haha.
    Ótima resenha.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/09/resenha-sozinha-marcia-leite.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Catharina! Desejo que você goste do livro.
      agora quero ver o filme, rs;
      Abraços!

      Excluir
  5. Oi Joyce, tudo bem? Gostei da sua resenha!! Parece ser um livro interessante, fiquei bastante interessada e quero assistir ao filme.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafaela, tudo ótimo!
      Obrigada, também quero assistir. (: Bjos;

      Excluir
  6. Nossa uhhunnnn arrasou !!
    Adorei a resenha Joyce meus parabéns !!
    Eu gostei da historia , mas sinceramente não leria o livro por não fazer o meu gênero , quem sabe eu não veja o filme ( talvez um dia rs ) , sou muito medrosa e essas coisas não dão certo para mim rs !
    Mesmo assim, adorei ver a sua escrita.
    Mil beijos da Lêeh

    Http://maetoescrevendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lêeh, obrigada :D
      Isso não é meu problema, nenhum pingo medrosa, esse gênero me conquistou, rs;

      Excluir
  7. Oi Joyce, seja bem-vinda. Começando em grande estilo, hein garota? rs
    Sei que dizer "adorei sua resenha" parece bem clichê rsrsr mas é verdade, eu adorei sua resenha. Não curto o gênero porque morro de medo de temas sobrenaturais, de verdade, sou uma cagona. Mas não é que fiquei presa à sua resenha do início ao fim querendo mais detalhes? Posso apostar que esse Ryan é estranho pra caramba kkk.

    Beijokas, flor.
    http://neivameriele.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Neiva, tudo bom? Obrigada pela visita, que bom que gostou *-* Fico muito feliz!
      Ah sim, de fato, ele é muito estranho kkk

      Excluir
  8. Oi Joyce. Não sei por que ainda acho meio esquisito um livro se inspirar num filme e fazer a adaptação. Não é preconceito, mas é tão melhor quando é o contrário...rs. Eu vi esse livro, e desconfiava qual teria vindo primeiro, agora esclareci minha dúvida. Eu já vi esse filme, e adorei. Só o final né que.. poxa vida...rs. Mas mesmo assim recomendo para que gostam de um bom suspense. Mas nãos sei se leria o livro. Talvez sim, só pra matar a curiosidade se eles fazem como nas adaptações e mudam alguma coisa que a gente acaba detestando..rs. Adorei a resenha, beijos.
    Clube da Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina, diferente essa história de filme virar livro, não é?! rs
      Estou ansiosa para ver o filme, preciso encontrá-lo rápido!
      Abraços

      Excluir
  9. Chegando com estilo, Joyce! Eu ainda não li livros do gênero, vou confiar na sua dica! ;)
    Bem vida, florzinha, e obrigada por toda a dedicação e carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir

Deixe aqui sua opinião, sua crítica, sua sugestão! Seu comentário é muito importante!

Clique em Notifique-me, para ficar de olho nas respostas!

Obrigada por comentar e aproveite sua visita!