Pages

21 de junho de 2014

Resenha #14: A Escolha - Kiera Cass

Título/Título original: A Escolha / The One
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano de lançamento: 2014
Status: Livro em série
#1 A Seleção
#2 A Elite
#2.5 Contos de A Seleção
#3 A Escolha
Páginas: 352
Skoob/Goodreads: Link1 / Link2
Onde encontrar: SaraivaSubmarinoAmericanas


Chegamos ao volume decisivo para America, Maxon, Aspen, a Seleção e Illéa. Não é à toa que muitas expectativas girassem em torno de “A Escolha”. Muita gente esperou cerca de um ano pela conclusão da trilogia e “teorias da conspiração” brotavam de todos os cantos entre os fãs da história. Eu, particularmente, não estava tão loucamente empolgada, quero dizer, queria muito saber como seria o processo do desfecho, havia lido e gostado dos primeiros livros e amava a história, mas não era minimamente ensandecida por ela.

Essas foram as razões pela qual eu acreditei que iria ler “A Escolha” com empolgação, mas sem me apegar de fato e lamentar, de certa forma, quando tudo estivesse concluído. Ledo engano.

Como disse anteriormente fiquei muito curiosa com os três capítulos iniciais que vieram como bônus em “Contos de A Seleção” e, como não havia comprado o livro em pré-venda, a forma mais rápida de me saciar foi comprando o e-book. Devorei as linhas em cada momento que tinha durante o dia e guerreava o cansaço para lê-lo noite à dentro, porque era torturante deixá-lo de lado.

Fotografia: Blog 100 livros em 1 ano
A narração dinâmica e cativante de Kiera continua irresistível e, nesse volume em particular, tive uma relação bem melhor com a narradora, America, porque, louvado seja Deus, ela estava bem mais decidida. Mas nem tudo são rosas.

Agora que a Elite já se reduziu a 4 Selecionadas, e depois de ser quase enxotada, America acordou para a vida e percebeu o que realmente importa para ela. Sim, isso não é mistério, desde o princípio do livro, para falar bem a verdade, desde o fim de A Elite, ela o escolheu: Maxon. Entretanto, como o próprio príncipe já havia salientado antes, quem faz a escolha para valer é ele, e depois de decepcioná-lo mais de uma vez America não tem certeza se ainda está soberana no topo da lista.

Ela precisa reconquistar a confiança de Maxon, sem pressioná-lo; guerrear uma paz armada com as outras garotas da Elite, especialmente Kriss; e resistir à constante pressão do Rei, que já deixou bem claro o quanto ela é indesejada. As coisas não estão fáceis para ela e eu teria torcido bravamente por ela, sem nenhuma hesitação... Não fosse por uma coisa: America se mostrava egoísta e insegura em alguns momentos E mantinha Aspen como um plano B. Que coisa feia!

Felizmente, ela não era o centro das atenções aqui. Enquanto America caminhava com as pernas bambas no meu conceito, Maxon me deixava orgulhosa! Determinado a reconstruir seu relacionamento com America, Maxon faz o seu melhor por ela. Não para por aí, ele cresceu muito desde “A Seleção”, de inseguro e ingênuo, tornou-se centrado e habilidoso. E isso é bem evidente no decorrer de “A Escolha”, Maxon está se tornando o líder de Illéa, não no conceito de seu pai, infelizmente, mas no de todas as demais pessoas.

É nesse contexto que conhecemos/revemos alguns personagens: August, Georgia, Avery, Nicoleta... Não vou entrar em detalhes sobre esses personagens, para não entregar coisas preciosas sobre a história que dão toda um tempero à leitura, mas eles são muito especiais!

Imagem: Blog Mudando de Assunto

Aspen, por uma razão muito misteriosa durante todo o livro, está mais distante de America, pouco aprece na primeira metade do livro, mas torna-se muito importante, indo muito além de participante no triangulo amoroso da história. O que é muito interessante é o que se desenvolve entre as competidoras da Elite.

As meninas ficam mais próximas para o bem e para o mal, e algumas passagens da história entre elas se momentos favoritos para mim na trilogia, fossem dramáticos ou cômicos! Elas vão surpreender, farão coisas que um leitor que as acompanha desde o início da Seleção não esperariam, nem imaginariam. Outro alguém  me cativou ainda mais nesse livro, não imaginei que seria possível: A Rainha Amberly. <3 Motivo pelo qual mal posso esperar pelo conto “The Queen” (A Rainha) que Kiera Cass está escrevendo.
tornaram

Repleto de situações envolventes, tensas, inesperadas, alegres, fofas, marcantes, com boas doses de ação. “A Escolha” chegou bem perto de ser um livro completo para mim, a ressalva que faço é pelo fato de ter sentido que algumas coisas aconteceram muito rápido. Sobretudo no final, senti um tipo de pressa, urgência em chegar ao desfecho que me deixou muito desamparada quando passei pelas últimas palavras. Não consigo entender porque Kiera correu tanto!

Ela devia ter desenvolvido um pouquinho mais, ficou muito enxuto o final. Depois de tudo que aconteceu nesse livro, não me conformei com o final de “estrela-cadente” que alguns personagens tiveram: “Aconteceu isso e ponto, já foi, vamos ao passo seguinte”. Fiquei contente com a visão geral do final da história, mas não verdadeiramente satisfeita. Acho que essa é uma das maiores razões para eu ter me sentido tão sem rumo com o fim da trilogia.

Pois é! Fiquei me sentido tão abandonada depois que cheguei ao fim, uma mistura de alegria e tristeza... acho que vocês me entendem. O que mais me chocou é que eu realmente não esperava me sentir assim, não com essa trilogia, mas aconteceu.

Eu sempre achei o plano de fundo da história de Kiera Cass muito interessante e enquanto aguardava a conclusão da trilogia escrevi o roteiro de uma fanfic inspirada nela, e fiquei surpresa quando, ao ler percebi que alguns pontos da história de Kiera ficaram semelhantes ao desfecho que planejei em meu roteiro. Eu até comecei a escrever a fanfic, mas sem publicá-la, não sei se vou levar o projeto adiante, caso o faça aviso a vocês, se tiverem interesse. Mas ter sentido falta da história ao finalizar “A Escolha” me impulsionou e eu dei uma adiantada bem legal na minha história.

Não posso dar detalhes a respeito da diagramação do livro, pois li o e-book, mas provavelmente não deve ser muito diferente dos livros anteriores. Mas estava tudo OK com a revisão do arquivo que li. Preciso comentar que essa é a capa mais bonita da trilogia? Provavelmente será uma das mais lindas da minha estante quando eu tiver meu livro físico, porque eu preciso dessas palavras “materializadas”. Enfim, apesar de alguns aspectos, não consigo conter o sentimento de que esse livro é um dos meus favoritos! Altamente recomendado!

Imagem: Blog Você é o que Lê
Avaliação:


P.S.: Bom, eu já disse mais de uma vez que considero A Seleção muito levemente como uma distopia, que o romance é o que mais me cativa na história, por isso enquanto lia “A Escolha” uma música pareceu se relacionar bem com a história em vários momentos, para mim, e ficou tocando no fundo da minha mente. Então, eu resolvi fazer uma surpresa... numa tentativa feliz ou infeliz, a critério seus, eu gravei a tal música e trouxe para vocês. J Espero sinceramente que tenham gostado da resenha e apreciem minha pequena performance. <3
video

2 comentários:

  1. Eu adoro esse livro quando foi lançado o ultimo livro fiquei louca para ler e fui atras como uma maluca kkkkkkkkkkk li em 5 horas o livro kkkkkkkkkkkkkkkkk

    http://livrosseriesemelodias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei. Bem que eu quis ler ininterruptamente mas não deu! Você foi bem rápida, não conseguiria esse feito...

      Excluir

Deixe aqui sua opinião, sua crítica, sua sugestão! Seu comentário é muito importante!

Clique em Notifique-me, para ficar de olho nas respostas!

Obrigada por comentar e aproveite sua visita!