Pages

25 de abril de 2014

TAG #3: Dez livros que me marcaram.

Dez Livros Que Me Marcaram

Essa não é exatamente uma TAG, há alguns meses houve uma brincadeira no facebook que consistia em fazer uma lista com 10 livros de ficção ou não ficção que tenham me marcado. Eu havia planejado falar um pouco mais da minha história com esses livros, os quais eu recomendo muitíssimo, o plano era ter feito isso no Dia Mundial do Livro (23/04) mas eu me embananei toda e não consegui fazê-lo. Mas como eles merecem esse destaque, vamos falar deles hoje! A ideia da brincadeira era não gastar muito tempo, nem pensar muito, mas quando se tratou de fazer aquelas escolhas, isso foi impossível. Bom, eu queria aqui não só citá-los mas dizer sua importância. Vamos a eles:

1- O Pequeno Príncipe - Antoine Saint-Exupéry
É o primeiro livro que lembro de ler com a minha mãe, reservando uma hora de cada dia para apreciar suas páginas. Lembro de como ela fez a brincadeira do "chapéu" comigo, no início da leitura. Além dessas lembranças, o principezinho me ensinou várias pequenas lições. Como enfrentar os baobás, como cuidar de casa, como enxergar as rosas, como cativar as raposas... Há sempre algo para se aprender com ele.

2- A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak
Foi um susto o dia que ganhei meu exemplar. Pela primeira vez leria um livro com mais de 150 páginas e o fato dele ser narrado pela morte me assombrou, de verdade, na flor dos meus 12 anos. Chorei. Nunca leria um livro de terror (?!). Foi mais ou menos isso que eu disse. Como minha mãe "ameaçou" devolver todos os livros que eu havia ganho (era meu aniversário) voltei atrás e arrisquei dizer que o leria sim. Quase um ano depois, numa aula sobre o nazismo, meu professor de história, de quem eu era fã, citou e recomendou o livro. Foi o suficiente para eu me aventurar. Hoje me pergunto de onde tirei tanta tolice. Aquela narradora cheia de ponderações e revelações me aterrorizou e me comoveu e ao final eu compreendi que livros poderiam, literalmente, salvar a sua vida. Ou quase isso. Mas você precisa amar as palavras.



3- A Culpa é das Estrelas - John Green
Tudo começou com frases esporádicas no Tumblr. "Meus pensamentos são estrelas que não posso arrumar em constelações", "Esse é o problema da dor, ela precisa ser sentida" e, claro, o enigmático "Okay". Então uma amiga que faz mágica com as palavras, recomendou-o a mim (Mai!!!). O título de John Green estava crescendo exponencialmente, assim como minha curiosidade. Não resiste, li e-book mesmo. E fui cativada pela rebeldia e existencialismo de Hazel, pelo hedonismo e conotatividade de Gus. É uma história que faz com você algo difícil de se explicar, mas na sua cabeça e no seu coração faz todo o sentido. Não consegui terminá-lo no e-book, eu precisava daquelas palavras para mim, em tinta e papel. Acabei lendo tudo de novo até chegar no ponto de parada e senti aquela coisa se intensificar em mim. Ah! Eu nunca consigo ser objetiva, quando falo desse livro. <3


4- Trilogia Jogos Vorazes - Suzanne Collins
A descoberta do meu gênero favorito. Há quem ache a história de Katniss confusa, tumultuada, nada legal. E é tudo isso mesmo, THG é uma alegoria atual bastante corajosa sobre nossa história. Miséria, exploração, manipulação, perdas, guerras... Tem bastante psicologia e filsofia envolvida ali. Diria até que não basta ler os livros, é preciso conhecer os bastidores, as orientações de Suzanne Collins. Eu me apaixonei por essa trilogia, e reconheço que ela não é perfeita, mas eu busquei conhecê-la de todas as formas que pude e ela me mudou. Mudou mesmo.





5- A Turma da Rua Quinze - Marçal Aquino 
Minha infância. Foi uma leitura escolar da quarta série e se tornou o queridinho da minha turma, tanto que relemos ele na sexta série. Acho que nos identificamos com as amizades e intrigas dos personagens do livro e com o desejo que tínhamos de ter uma aventura também. Bem óbvio que ele foi marcante, né?


6- A Hospedeira - Stephenie Meyer
Essa é para mim, mesmo com seus probleminhas de narração, a obra-prima de Stephenie. Com personagens bem construídas e uma história permeada de amores, eu me deliciei e tirei muitas lições deste livro, mais de uma vez. Você passa a querer cuidar mais da sua casa, dos seus amigos, da sua família, do seu planeta, até mesmo de um desconhecido. Ele é capaz de te ensinar como enxergar melhor as pessoas. Eu não me contentei em ter essas lições ali, então recorri às fanfics para concretizar esses sentimentos, foi o livro com mais fanfics que eu já li, até escrevi uma, na verdade.



7- Pollyanna - Eleano H. Porter 
Predileto desde a minha infância. Tive que lê-lo para a escola e gostei tanto que não podia largá-lo. Lembro que eu tinha que ficar com minha tia na lanchonete dela, enquanto minha mãe estava no trabalho, e porque o barulho das pessoas era tão grande, eu precisava me esconder para ler em paz. Aí eu entrava para o armário de toalhas e levava uma lanterna, fazia um calor danado, mas valia a pena. [risos] Tento fazer o Jogo do Contente até hoje, tento ser alguém paciente e dócil, com coisas boas a dizer, como Pollyanna


8- A Saga Crepúsculo - Stephenie Meyer

Foi a minha primeira série. Eu tinha pavor de vampiros e lobisomens e qualquer ser sobrenatural, então nunca havia me interessado. Até ver minha mãe lendo, e rindo, e suspirando. Tinha alguma coisa errada ali, ela me contava sobre uma história que eu jamais pensei que existisse naquele "tipo de livro". Então  foi assim: minha mãe lia, eu lia e amava o Edward, e queria bem ao Jake, e ficava fanática pela Alice, e brigava com a Bella... Amo-os, não são perfeitos, e amo-os até hoje.



9- A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón 

Foi um "golpe de sorte". Eu estava no 1º ano do Ensino Médio e minha professora fez um projeto de socialização de leitura. Podíamos ler o livro que quiséssemos... desde que não fosse "best seller", segundo a minha professora. Na verdade ela não queria que fosse YA, mas acho que ela não conhecia a terminologia na época. Eu lembro que estava louca para ler Eclipse e essa "regra" acabou com minha alegria. Então fui na livraria buscar algo. E encontrei A Sombra do Vento, fui capturada já na sinopse. Foi o primeiro livro adulto que li, então a "crueldade" e intensidade de Zafón me pegou de surpresa, eu até fiquei receosa de ler, mas depois fui me adaptando à história, como alguém que sai do escuro para um local muito iluminado. Esse livro é simplesmente incrível, e o meu exemplar tem um valor especial, por causa de alguns acontecimentos, mas isso é história para outra ocasião.

10 - Capitães da Areia - Jorge Amado

Eu tinha receio de ler Jorge Amado, porque li Gabriela e não gostei. Mas tinha que ler Capitães para o vestibular. Envolvi-me tanto com a história que fiquei assustada comigo mesma. É sensível e engraçado, mas também é grosseiro e reflexivo, tem uma narrativa fluida e que afeta bastante. Uma história bonita e triste desses meninos-homens. Você entende que o que eles fazem não é certo, mas ainda assim tenta defendê-los, porque piores são os homens-homens que não querem sabem cuidar deles. Surpreendente... apaixonei-me.



Então, quais os livros mais marcantes para vocês? Eu não vou indicar ninguém em especial, mas caso respondam me passem os links, quero saber. ;)

10 comentários:

  1. Oi Dany!!

    Amei a sua postagem! E já li a maioria dos livros que mencionou! São ótimos livros! Achei muito legal você ter falado um pouquinho do que eles passaram para você! Ficou uma postagem muito bonita! Dessa lista também achei "O pequeno príncipe" muito especial! Também lembro de ter feito a leitura quando era pequena! Ele sempre me encantou e o filme era um dos meus preferidos na época! Tenho muitos livros inesquecíveis e essas lembranças são ótimas!!

    Curti muito o seu blog e já estou seguindo!!

    Beijinhos
    Mirelle - meumundoemtonspasteis.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mirelle! Obrigada pela visita. Que bom que achou a postagem interessante. :)

      Excluir
  2. Oiii
    Tudo bem?
    Muito legal sua lista hahaha
    Estou louca para ler A Hospedeira, pois assisti o filme e curti bastante haha que bom que gostou.
    Ótimas escolhas hahaha

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/04/resenha-os-recados-gabriela-brandalise.html
    Comente ;))
    Beeeijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadapela visita, Catharina! A Hospedeira é um livro muito bonito, sim.

      Excluir
  3. Mas. gente, é sério que fui eu que te influenciei a ler A Culpa é da Estrelas!? Eu não sabia disso, não. Mas fiquei super feliz em descobrir. E quais os probleminhas que vc mencionou em A Hospedeira? Fiquei curiosa.
    Olha só, quando eu li Pollyanna pela primeira vez, eu devia ter uns 9 anos de idade, mais ou menos, e eu era uma menina muito introvertida, que podia soar meio azedinha às vezes (sim, eu era um Logan mirim, rs). Aí um dia a minha irmã fez uma brincadeirinha (daquelas que a gente faz falando sério e que me deixavam na ponta dos cascos de raiva) dizendo que eu estava toda sorridente e boazinha depois que comecei a ler o livro. Eu fiquei com raiva dela na hora (já naquela época eu não gostava que as pessoas me lessem com tamanha facilidade), mas depois pensei a respeito e percebi que aquele livro tinha mesmo me suavizado e me feito uma pessoa diferente. Como aquela menininha sardenta com nome esquisito me mudou e me fez feliz!
    Temos vários livros em comum nessa lista aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Mai, foi sim. A narração de A Hospedeira pode ficar um pouquinho lenta ou confusa às vezes, um leitor mais desatento acaba se perdendo. Hahaha "Logan mirim" foi boa. Legal quando um livro faz isso conosco, mesmo "contra nossa vontade", né?
      Beijo!!!

      Excluir
  4. Meu Deus! Sei que sou pra lá de suspeita, mas como você cresceu!...É inexplicável quando aquele(a) em quem você acredita supera todas as suas expectativas!
    Maravilhoso o post, alias é a confirmação do que o Nanuka Andrade, como se lhe conhecesse há muito, denominou como “ é lindo o seu blog, repleto de amor aos livros”, que eu endosso e acrescento “e de ensinamentos que só esse apaixonado e intimo contato permite”.
    São, realmente 10 obras incríveis das quais as que não li sou tentada a fazê-lo pelo entusiasmo na defesa das descobertas que reportas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é mãe, você me trabalhou bem. :3

      Excluir
  5. Noossa muito boom os livros q te marcaram nunca le pequeno principe mas todos q leem falam q e muito bom...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Pequeno Príncipe pode mudar a sua vida, Fê! Leia. ;)

      Excluir

Deixe aqui sua opinião, sua crítica, sua sugestão! Seu comentário é muito importante!

Clique em Notifique-me, para ficar de olho nas respostas!

Obrigada por comentar e aproveite sua visita!