Pages

30 de julho de 2014

Resenha #17: Cidade de Vidro - Cassandra Clare (Os Instrumentos Mortais, Vol.3)




Título/Título original: 
 Cidade de Vidro/City of Glass
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Ano de lançamento: 2012
Status: Série Os Instrumentos Mortais
#3 Cidade de Vidro
#4 Cidade dos Anjos Caídos
#5 Cidade das Almas Perdidas
#6 Cidade do Fogo Celestial
Páginas: 474
Skoob/Goodreads: Link1 / Link2
Onde encontrar: Saraiva

ATENÇÃO: essa resenha contem spoilers do enredo dos volumes anteriores.

Após a épica batalha contra Valentim no navio, o mundo dos caçadores de sombras está alerta quanto à grande ameaça que se aproxima, pois aquele está cada vez mais perto de ser bem sucedido em seus planos. Valentim quer acabar com os membros do submundo, mas não apenas isso, ele quer purificar a Clave, os Caçadores de Sombras. Aqueles que tiverem qualquer inclinação pelos membros do submundo é um ser corrompido e não tem lugar na nova era a que ela aspira.

Vou logo dizendo que essa crença de Valentim e suas palavras persuasivas me lembram muito a forma como eu imagino que Hitler tenha agido, felizmente não são tantas pessoas que acreditam cegamente nele, não depois da Ascensão pelo menos. Parece que a história mundana ensinou alguma coisa aos Caçadores de Sombras ao final. Fico pensando qual seria o cenário que Cassandra desenvolveria para os Caçadores de Sombras no período do nazifascismo. Minha imaginação...

Bom, voltemos ao enredo de "Cidade de Vidro". Sabendo disso, a Clave é convocada em Idris, o lugar onde deve residir o terceiro instrumento mortal, o lar dos Caçadores de Sombras. Os Lightwood e Jace estão se preparando para viajar para Alicante. Clary quer ir junto, mas não pela reunião, e sim para encontrar alguém que finalmente a ajudara a despertar Jocelyn, sua mãe. No entanto, Jace não quer que sua irmã vá para Idris, primeiro por causa da ameaça de Valentim que paira por lá, segundo porque ele teme que a Clave vá querer usá-la como arma, caso descubram seus talentos especiais com os símbolos.


Vocês já devem imaginar que essa história de Jace querer poupar Clary não vai funcionar, muito pelo contrário: as consequências são astronomicamente desastrosas. Isso mesmo, sintam o nível do drama. Antes mesmo de partirem por um portal criado por Magnus no Instituto, os Lightwood sofrem um ataque e têm que atravessar ás pressas e começa a confusão. Clary ficou para trás, o portal foi fechado, Simon viajou com os demais. Não vou dizer mais para não tirar a emoção de descobrir como essa cama de gato se armou.

Claro que Clary não ficou feliz em ser deixada para trás. E ela dá seu jeito de chegar até Alicante. PELO ANJO, CLARY! \o/ Essa sua impulsividade é irritante, desesperadora. Mais umas doses de problemas se acumulam: agora Clary chegou à Idiris sem supervisão, Simon que é um membro do submundo está na cidade sem a devida permissão... e Luke está praticamente na mesma situação. Culpa, direta ou indireta, de quem? Clary!


Bom, a estadia dos nossos estimados Caçadores de Sombras & Cia. não é nada divertida. Clary e Jace tem um reencontro muito tenso, Simon eu nem comento, alguns novos personagens são simpáticos demais ou de menos e nós já devíamos ter aprendido, a essa altura, que isso nunca é bom sinal. A meio caminho da leitura as coisas estão literalmente pegando fogo. Mais uma vez Cassandra Clare traz situações, cenários e plot twists épicos! Yeeeeeeah! \o/ Os visuais descritos para Alicante são arrebatadores, toda a cultura dos Caçadores de Sombras presente ali é instigante, aliás fiquem bem atentos às referências, é tudo o que digo.

O enredo tem base na resolução dos problemas com Valentim, mas o foco da história acaba sendo transferido para os relacionamentos de Clary e Jace, algo esperado uma vez que eles são os filhos do grande antagonista. “Cidade de Vidro” é um livro de surpresas e revelações e eu só posso ficar extasiada com a história de Cassie desenvolveu. *o* Os dois irmãos se atritam constantemente e, à medida que são levados a encarar alguns fatos juntos, quase entram em combustão. A relação construída para os dois nesse livro, no inicio tem aquela coisa meio cansativa, como aconteceu em “Cidade das Cinzas”, e aí evolui para um doce pesar. Sabe? Dolorosamente errado, inebriante e, ainda, certo. Enquanto eu lia essas passagens “Clarity” ficava tocando no fundo da minha mente.


Há algumas perdas em todo esse caos, dolorosas. Às vezes parecia que nem mesmo uma centelha de esperança sobreviveria. O que se seguia era esperado até certo ponto, e então totalmente inesperado para mim! O crescimento que algumas personagens tiveram nesse livro foi algo admirável, tanto pra personagens antigos, quanto para aqueles introduzidos nesse volume. Além disso a narrativa de Cassandra está melhor: certeira, profunda, de tirar o fôlego. Gostei muito, muito mesmo do 3º volume de Os Intrumentos Mortais, fiquei satisfeita com o desfecho a ponto que estou com certa resistência para ler “Cidade dos Anjos Caídos”.

A edição da Record foi bem feita: boa fonte, boa arte, semelhante aos volumes anteriores. Mas alguns pouquinhos deslizes na pontuação dos diálogos passaram e às vezes ocorreram falhas na impressão, apagando partes das palavras. Mas nada disso atrapalha a leitura. Enfim, se você já leu “Cidade das Cinzas” continue, leia “Cidade de Vidro” o quanto antes. O conteúdo do livro o tornou um dos meus favoritos, tanto que eu levei mais de um mês até conseguir  fazer uma resenha um tanto decente para ele, por que é tão difícil resenhar algo que gostamos? Bom, espero que tenha ficado legal.

Como eu disse, “Clarity” de Zedd ft. Foxes é uma música bastante referencial para Clary e Jace nesse livro para mim, então preparei algo para vocês...


video

12 comentários:

  1. Oii, Parabens pela resenha, faz um tempo quero muito ler este livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma série que vale a pena, ela tem um conteúdo fantastico muito rico!

      Excluir
  2. Quero muito ler esse livro, Dany!
    Ótima resenha, fiquei mais curiosa ainda... rs...
    Beijo.
    Karina
    http://daliteratura.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Quero muito ler Os Instrumentos Mortais, tenho o primeiro livro mas ainda não o li.
    Vontade não falta, o problema é o tempo,
    mas vou arranjar um espacinho no meu dia pra começar a ler essa série que parece maravilhosa *----*

    Beijokas
    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, tempo é algo complicado. Também são histórias muito ricas, eu aconcelho a fazer como eu e lê-los com algum intervalo de um livro para outro.

      Excluir
  4. Nossa que fotos lindas. Amo fotos.
    Eu quero muito ler esta saga, mas ainda não deu :(
    triste, mas sei que um dia vou ler e espero gostar.
    Ótima resenha.

    Beijos
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste também Feeh! Obrigada pelo elogio às fotos. ;)

      Excluir
  5. Oi Dany, ameei a sua resenha!! Sério, me deu vontade de pegar o livro e ler agora!! Pena que eu não posso, tenho uma lista interminável de livros para ler antes.

    Enfim, eu quero muito ler esse livro e pelo que você disse, esse vai ser O livro. Já ouvi várias pessoas falando que ele é o melhor da série.

    Adorei a resenha, e amei as fotos!!

    Beijinhos, Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu levei um bm tempo ente Cidade das Cinzas e Cidade de Vidro, esses encaixes nem sempre são fáceis mesmo! Fico feliz que tenha gostado da resenha, Rafa!

      Excluir
  6. Oi flor, quero muito ler essa serie,estou bem curiosa quanto a história, quero tirar minhas conclusões, hahahaha.
    Sua resenha ficou bem instigante, muito boa.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Si! Espero que gote da série, eu gosto bastante!

      Excluir

Deixe aqui sua opinião, sua crítica, sua sugestão! Seu comentário é muito importante!

Clique em Notifique-me, para ficar de olho nas respostas!

Obrigada por comentar e aproveite sua visita!