Pages

17 de fevereiro de 2014

Resenha #6: The Phoenix Requiem (WC) - Sarah Ellerton



Título: The Phoenix Requiem
Autor(a): Sarah Ellerton
Ano: 2011
Status: Webcomic
Goodreads: link
Onde encontrar: Web, Amazon

Sinopse
The Phoenix Requiem é uma história de fantasia , de inspiração Vitoriana, sobre fé, amor, morte e aquilo em que se acredita.

Em uma noite fria de Dezembro, um homem entra aos tropeços na cidade de Esk, ferimentos de bala deixam um rastro de sangue na neve atrás dele. Apesar de se recuperar completamente nas mãos de uma enfermeira inexperiente, Anya, e decidir reconstruir sua vida na cidade, ele é incapaz de escapar dos seres sobrenaturais, ambos maus e bons, que parecem persegui-lo como sombras.

Enquanto eles tentam descobrir o porque, Anya deve questionar suas crenças e arriscar sua própria vida para proteger sua família, amigos e aqueles que ela ama.

Personagens principais:








Anya Katsukova:
Anya fugiu com sua família, enquanto ela ainda era pequena após agitação civil em seu próprio país. Ela está estudando para se tornar uma médica e é, atualmente, uma enfermeira sob a orientação do Doutor Blythe. Ela é muito dedicada ao seu trabalho e está sempre preocupada com a saúde das pessoas ao seu redor.

Jonas Faulkner:
Um cavalheiro cujos modos informais contradizem sua aparente ascendência da alta classe. Ele fixou-se na cidade de Esk depois de sofrer ferimentos quase fatais nas mãos de um assaltante até então desconhecido. Ele é charmoso e espirituoso em sua melhor forma, arrogante e manipulador no seu pior.

Robyn Hart:
Um ex-soldado, Robyn deixou o exército para voltar a uma vida mais calma no campo, cuidando de Ester Caribou e treinando os jovens da aldeia em tiro e esgrima. Ele pode ser um pouco forte, arrogante e controlador às vezes, mas ele tem um forte senso de justiça e não é facilmente enganado.

Petria Grey:
Abandonada por seus pais, que não podiam alimentá-la, a vida conturbada de Petria eventualmente a levou a Esk, onde ela ajudada a todos em alguns bicos. Ela é boa em flertar e fofocar, e tende a se dar melhor com os homens do que com as mulheres.



A Resenha de hoje é sobre uma Webcomic que li há alguns anos e reli recentemente. As Webcomics são histórias em quadrinhos on-line e são produzidas e postadas periodicamente. Todas que já li/leio (4 no total) são em inglês, mas existem Webcomics em português ou traduzidas, mas as vezes que tentei acompanhá-las o não gostei ou foram abandonadas. :(

The Phoenix Requiem – traduzido é algo como “O Descanso da Fênix” – foi a primeira Webcomic que li, descobri-a por uma eventualidade e logo fui cativada pela beleza das ilustrações. Então li a sinopse e cai com tudo na história, na época ela ainda estava sendo postada e era atualizada duas vezes por semana – duas páginas da história – imaginem o minha ansiedade... Mas sempre valia a pena.

Sarah Ellerton é a autora da história e também a ilustradora. Que talento! O contexto, os personagens, a escrita é tudo muito bom! E é uma história de suspense e terror... Incrível. As ilustrações dizem tanto, na forma e ângulo como os quadros são apresentados, nas expressões dos personagens tão caprichados, nas cores usadas, nos efeitos que são de tirar o fôlego e dar medo!


Não entendo como um trabalho tão legal, dando sopa na internet ainda não foi averiguado e arrecadado por nenhuma editora brasileira. Verdade, as HQ’s ainda têm mercado pouco expressivo aqui... Mas acho que The Phoenix Requiem seria de um sucesso considerável. A história foi publicada nos estados unidos em 5 volumes (assim como é dividida em seu endereço eletrônico) e é a segunda publicação da autora que tem outro títulos como Inverloch e o recente Finding Gossamyr, todos podem ser encontrados na Amazon. Há também um perfil do DeviantART que a Sarah atualiza com ilustrações de suas histórias e variados, aqui.

A história começa com cenas de um estranho ferido, que anda sem rumo numa floresta congelada. E então corta para uma festa. O que acontece é que os moradores de Esk têm uma crença no ser supremo e nos bons Espíritos, têm fé de que um dia eles retornaram com a sua mágica e tudo ficará bem novamente. Anya, entretanto é bem cética quanto a isso, ela acredita na ciência e trabalha duro para manter todos com boa saúde. Eles estão comemorando a “Noite de todas as almas” e o Doutor Blyth, mentor de Anya, está fora. As pessoas de divertem e tentam envolvê-la, mas ela se recusa.

Durante a brincadeira Sean e Coralee, duas crianças, afastam-se para a floresta onde encontram o homem ferido. Quando o socorro chega, ele é levado para a casa do Dr. Blyth e Anya cuida de seus ferimentos. Ele se recupera e se apresenta como Jonas. Bom, o fato dele ter surgido do nada tão bem vestido e ferido com tiros perde o status de estranho quando uma praga assola a cidade e a cura parece não existir.

Anya dá o melhor de si para tratar das pessoas que morrem aos montes, em poucas horas após os primeiros sintomas. Pouco depois, toda a cidade está assombrada por criaturas horrendas e fantasmagóricas... Sombras vivas e disformes, cobertas de cinzas. Jonas é o único que parece ter algum poder sobre elas. É sob especulações, perdas e uma luta enfurecida pela sobrevivência que um passado obscuro de uma dívida e um dom recai sobre Esk e toda a redondeza.

Anya é uma garota corajosa, decidida e... científica, ela não sabe lidar muito bem com crenças e menos ainda com o amor. Quando chega a hora de encarar esse desafio é como se ela se perdesse de si mesma... Até encontrar o caminho de volta. Isso pode fazer parecer que é tudo um simples drama romântico, mas não é. Não. Os cidadãos de Esk estão desesperados e assombrados, temem pela própria vida e com razão. Por isso, mesmo que algumas atitudes de Robyn sejam irritantes, não há como culpá-lo. E mesmo que queira odiá-lo, dificilmente você conseguirá.Petria muitas vezes parece ser o sopro de alívio e alegria da história, até descobrirmos a verdade sobre sua história. Passamos a vê-la com um olhar um tanto diferenciado. E Jonas... bom sem dúvidas ele é o personagem mais surpreendente. Você o ama, você o odeia, você sente compaixão por ele.


Uma história envolvente com um final inesperado e tenso. Um trabalho belíssimo. Quero mesmo recomendá-lo a todos! Se tiverem um nível intermediário de inglês já vale a pena conferir. Caso seu inglês não seja suficiente, sinto muito mesmo, vamos ter a esperança de que as editoras nacionais despertem para essa história! Alguém. Por favor.

Avaliação:



2 comentários:

  1. Respostas
    1. Se tiver tudo tranquilo com o inglês, pode começar agora mesmo. É só clicar no link "web" na resenha.

      Excluir

Deixe aqui sua opinião, sua crítica, sua sugestão! Seu comentário é muito importante!

Clique em Notifique-me, para ficar de olho nas respostas!

Obrigada por comentar e aproveite sua visita!